Todos os artigos de Redacção OBio

Olimpíadas Portuguesas de Biologia

É já amanhã que arrancam as Olimpíadas Portuguesas de Biologia de 2019, com a realização do teste da primeira eliminatória Sénior.
Mais de 4000 alunos dos 11º e 12º anos de escolaridade, de 311 escolas concorrentes, fazem prever um grande sucesso, na linha dos anteriores concursos.

Os alunos de 10º ano realizam  pela primeira vez uma prova específica, que decorrerá em Abril.

Outra das novidades é a introdução de um sistema de correcção automática das provas, eliminando virtualmente a possibilidade de erro.

A todos os alunos concorrentes e aos colegas professores responsáveis que possibilitam a realização deste concurso, desejo as maiores felicidades!

José Matos

 

A Ilha da Berlenga como sala de aula teórico-prática

Na sequência dos novos cursos sobre as Áreas Protegidas Nacionais, o CFOBio abre agora as inscrições para a acção sobre a Reserva da Berlenga, que decorrerá, se o mar permitir, de 2 a 4 de Março, com possibilidade de mais um dia, se os colegas inscritos assim o desejarem. Utilize os links abaixo para se inscrever. Atenção, que o limite de inscrições não é flexível!

Programa AQUI
Inscrições AQUI

1º Concurso de fotografia escolar da OBio

A imagem ocupa um espaço importante na formação do ser humano, quer como manifestação artística, quer como elemento estruturante na aprendizagem.
A OBio considera que o papel da fotografia na formação dos jovens está subaproveitado e por isso pretende contribuir para que os estudantes vejam a biodiversidade de uma outra forma, estratégia que pode contribuir para alterações comportamentais geradoras de uma maior participação na cidadania ambiental activa.
Se é possível resumir os nossos objectivos numa frase, ela seria “aprender a ver quando olhamos”.

Por isto, a Ordem dos Biólogos decidiu levar a efeito o seu primeiro Concurso de Fotografia destinado a alunos, que se rege pelas cláusulas que pode consultar aqui e onde encontrará todas as instruções necessárias para concorrer.

Faça a inscrição da sua turma AQUI

Se tiver dúvidas, entre em contacto com:
Mail: formacao@ordembiologos.pt
Telefone
: (+351) 961 645 363

As duas faces do Nitrogénio!

 

O nitrogénio é um elemento essencial à vida. Desde a descoberta da fixação do nitrogénio, para produzir fertilizantes, fomos capazes de aumentar muito a produtividade agrícola. Mas usamos demasiado fertilizante na agricultura e ainda libertamos mais nitrogénio através da queima de combustíveis fósseis.
Todo este nitrogénio extra, escapa para o ambiente, causando problemas na Água, Ar, Gases com Efeito-de-Estufa, Ecossistemas e Solo.
Este vídeo sumariza os problemas do nitrogénio no mundo moderno e propõe soluções para este problema.
Vale a pena VER AQUI

Curso Avançado cE3c “Practical Course in Phylogenetics” – antecipação do calendário uma semana​

Foi antecipada uma semana a calendarização do curso avançado cE3c ”Practical Course in Phylogenetics”, leccionado por Octávio Paulo(cE3c).

Este curso terá lugar entre 28 de janeiro e 1 de fevereiro de 2019 na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. A data limite das candidaturas mantem-se a 11 de janeiro de 2019.
Mais informações sobre o programa deste curso, custos de inscrição e como se candidatar está disponivel  aqui

…………………..

Advanced Course cE3c “Practical Course in Phylogenetics” – one week anticipation of the calendar
The calendar of the cE3c Advanced Course ”Practical Course in Phylogenetics”, taught by Octávio Paulo (cE3c) was anticipated one week.

The course will take place between January 28th and February 1st 2019, at the Faculty of Sciences of the University of Lisbon. The deadline of applications is still January 11th 2019.
For more informations about the programme, fees and how to apply go here

A Ordem dos Biólogos e o seu Colégio de Biologia Humana e Saúde, recebidos pela Ministra da Saúde

No dia 17 de Dezembro, o Sr. Bastonário e a Direcção do Colégio de Biologia Humana e Saúde foram recebidos em audiência  por Sua Excelência a Ministra da Saúde, Doutora Marta Temido.

Neste encontro, foi solicitado o urgente reconhecimento dos títulos de especialidade em Análises Clínicas, Genética Humana e Embriologia/Reprodução Humana atribuídos pela Ordem dos Biólogos, bem como a revisão da posição dos biólogos especialistas no Serviço Nacional de Saúde e instituições privadas.

Ficou prevista nova reunião no início de 2019 para dar continuidade à discussão das temáticas abordadas.

IV Encontro Meet.Eco da Universidade de Coimbra

Foi no Sábado, 15 de Dezembro, que o bastonário da OBio participou na cerimónia de abertura da IV Edição do Meet.Eco Coimbra – Encontro de Ecologia do NEB/AAC, que decorreu na Universidade de Coimbra.
A Obio apoiou a organização do evento e esteve presente com um stand onde os estudantes se puderam inscrever na Ordem e esclarecer dúvidas. No seu discurso de abertura d
o evento, José Matos salientou a importância da Ecologia e de como necessitamos cada vez mais do contributo dos ecólogos para alcançarmos uma verdadeira sustentabilidade.

 

Ciclo de Artigos sobre Apresentações do “5th EFLM-UEMS European Joint Congress in Laboratory Medicine” 2018

Número 3 – “The Rise And Fall Of Total Error Concept In Laboratory Medicine”

Fortemente sugestivo, o título deste painel de palestras demonstra o progressivo abandono do velho conceito do Erro Total no laboratório clínico, pela EFLM e UEMS.

O colega Anders Kallner, na sua palestra “Uncertainty Or Total Allowable Error: The Big Debate”, lembra-nos que todas as decisões e medidas estão sujeitas a incerteza. Por outro lado, explica que existem sempre duas componentes de erro: aleatório e não intencional (precisão) e sistemático, que se considera intencional se o não corrigirmos (exatidão). Para este, o debate nos últimos anos no laboratório clinico, centra-se em conseguir cálcular ambos os erros numa única expressão.

O Professor Elvar Theodorsson, na sua palestra sobre “From Measurement To Diagnosis: Uncertainty In Laboratory Medicine”, enfatiza que as estruturas e reações químicas são os principais fatores que influenciam a sensibilidade e a especificidade no doseamento das magnitudes biológicas, na química clínica. Para este autor, é o papel do laboratório a translação do valor quantitativo em resultado e informação útil. Também, realça que esta translação pode ser feita com recurso a: i) dados de calibração dos sistemas de doseamento; ii) dados da variabilidade biológica, com a variação diurna, etária e de género; iii) transporte, armazenamento e tipo de amostra biológica; iv) informação sobre os intervalos de referência; v) limites de decisão e dados populacionais necessários para a correta interpretação dos resultados do laboratório.

Ainda segundo este autor, a característica principal do sucesso das industrias de serviço e manufaturação, deve basear-se na satisfação das necessidades do utente e no estabelecimento de uma boa relação com o mesmo. No laboratório clinico, podemos centrarmo-nos no utente quando damos enfase ao desenvolvimento, inovação e interpretação dos resultados dos doseamentos no contexto clínico, mais do que apenas uma simples apreciação do que foi detetado. Esse desenvolvimento, deve ser efetuado preferencialmente pelo laboratório clinico, uma vez que os doseamentos apenas têm interesse quando os seus resultados contribuem substancialmente para medir a eficácia do tratamento ou no correto diagnóstico. Caso contrário, os resultados do laboratório não passam de “apenas números” …

EM PORTUGAL:

Com a publicação do documento de otimização dos programas de controlo interno dos laboratórios clínicos (link de acesso), a LabGen-ANBIOQ e o CBHS-OBIO criaram as condições para que em Portugal, seja possível efetuar o cálculo da incerteza de medição, podendo ser usada em conjunto com os dados da variabilidade biológica intraindividual, permitindo determinar a capacidade de deteção de alterações fisiopatológicas relevantes e personalizadas para cada paciente.

Em 2012, no Workshop Internacional de Bioquímica Clínica na Universidade de Coimbra, foi apresentada a primeira folha de cálculo mundial que correlaciona a qualidade clínico-laboratorial, na forma da capacidade de deteção de alterações fisiopatológicas relevantes, com a qualidade analítica nos seis sigmas.

Esta folha de cálculo, desenvolvida pela LabGen-ANBIOQ, utiliza os gráficos Normalizados de pontos operacionais e de erro sistemático, disponibilizados por Westgard, para comparar no seis sigma a capacidade de deteção de alterações fisiopatológicas relevantes com a qualidade analítica. E veio demonstrar como a qualidade clínica, por avaliar o impacto dos doseamentos laboratoriais diretamente na capacidade de detetar alterações fisiopatológicas relevantes em cada paciente, se sobrepõe à qualidade analítica no seis sigma e isso só é possível usando a métrica/conceito da Incerteza de Medição, que integra os erros aleatórios e sistemáticos (ou erros não intencionais e erros intencionais) numa única variável,  para calcular a capacidade de deteção de alterações fisiopatológicas relevantes.

Pode aceder aqui ao Manual de Utilizador  https://www.dropbox.com/l/scl/AABGW93ICKFoZq_z0-sM25BIc9_zFHj0Sn0, aqui acede ao Abstract https://www.dropbox.com/l/scl/AAA-s3-hfWuIF7uzTic5sSNDnU_-gYnF4LE  e aqui acede à folha de cálculo OCQI https://www.dropbox.com/l/scl/AABvMQ_mfN2fVZtUh5UnbjpvNh2DBKw2z2Q

Escrito por:

Jorge Pinheiro
Coordenador da LabGen-ANBIOQ
Membro da Direção do CBHS-OBIO
Bioquímico Clínico – LabGen-ANBIOQ
Especialista em Análises Clínicas – CBHS-OBIO

in- “Readings: Ciclo Artigos sobre as Apresentações do “5th EFLM-UEMS European Joint Congress in Laboratory Medicine 2018” – Numero 3 “The Rise And Fall Of Total Error Concept In Laboratory Medicine, Plataforma de Formação e Informação da ANBIOQ da Comissão de Laboratório Clínico e Genética Humana dos Bioquímicos Clínicos da Associação Nacional de Bioquímicos