XXIV Porto Cancer Meeting: “Liquid biopsy: bringing precision medicine closer to oncology”

The meeting will provide a great environment for discussing the latest developments in liquid biopsy as a crucial means for the implementation of Precision Medicine in Oncology.

i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, Universidade do Porto, Porto.

11 e 12 Maio 2017 [ver mais]

 

BIODIVERSIDADE ENTRE MARÉS – PRAIAS ROCHOSAS

Objectivos:

A promoção de recursos e de competências dos professores para a idealização, concepção e dinamização de atividades experimentais no ensino da Biologia é o ponto de partida para o desenvolvimento deste programa de formação.

Cronograma
24 | 02 | 2017 (6ª) 18h | 22h
04 | 03 | 2017 (Sáb) 9h | 18h
18 | 03 | 2017 (Sáb) 9h | 18h
25 | 03 | 2017 (Sáb) 9h | 19h
01 | 04 | 2017 (Sáb) 9h | 19h

Informações mais detalhadas   

Inscrição, aceda aqui.

BIÓLOGA DE VALENÇA GANHA PRÉMIO DA ROYAL SOCIETY OF BIOLOGY

A bióloga Joana Moscoso recebeu o prémio de Comunicação de Ciência da Royal Society of Biology. Este prémio, atribuído a investigadores a trabalhar no Reino Unido que se destaquem no mundo da comunicação e ciência, foi atribuído a Joana devido ao projeto Native Scientist, da qual é cofundadora e às atividades de divulgação de ciência no Imperial College London.

Assinatura de protocolo de cooperação

Foi assinado no passado dia 24 de Janeiro o Protocolo de Cooperação entre a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e a Ordem dos Biólogos, cujo objetivo é o apoio recíproco na realização de projetos de formação, o desenvolvimento técnico-científico e divulgação da cultura científica, a definição e realização de ações específicas de formação, e a cooperação em ações internacionais no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, entre outros.

AUDIÇÃO DA ORDEM DOS BIÓLOGOS PELA COMISSÃO PARLAMENTAR DE SAÚDE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

A Comissão Parlamentar da Saúde recebeu, a 24 de janeiro, o Sr. Bastonário da Ordem dos Biólogos, Doutor José Matos, a vogal para a saúde, Doutora Cláudia Júlio e a presidente do Colégio de Biologia Humana e Saúde, Dr.ª Ana Sousa, numa audição relativa à proposta de Proposta de Lei 34/XIII que define e regula o “Ato em Saúde”.

Tributos a Mário Ruivo: um Biólogo e um Português de Exceção

Fotos de Mário Ruivo

Numa das últimas Assembleias Gerais da Ordem dos Biólogos quando me preparava para iniciar a minha intervenção tive a grata surpresa de, mais uma vez, ver entrar o nosso membro n.º 731, o Prof. Mário Ruivo que, com quase 90 anos, continuava a participar nos trabalhos dos biólogos e a querer informar-se sobre todos os temas em debate. No final, veio agradecer-me, disse-me que ia de coração cheio e explicou-me que estava naquela Assembleia Geral porque “gostava de se manter curioso”.

Este é um enorme ensinamento para qualquer jovem aspirante a cientista: manter a curiosidade, e manter-se solidário com os colegas.

Há cerca de 3 anos, na cerimónia de tomada de posse dos corpos sociais da OBio, tive a oportunidade de dizer publicamente que o Prof. Mário Ruivo é um dos exemplos do biólogo que eu gostaria de ser.

Com o seu desaparecimento o país fica mais pobre, os oceanos perdem uma importante voz na sua defesa, a sociedade perde uma voz esclarecida e didáctica e eu perco uma enorme referência pessoal.

A todos os familiares, colegas e amigos apresentamos as nossas condolências.

José Matos
(Bastonário da Ordem dos Biólogos)


O Professor Mário Ruivo formou-se em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, 1950, especializou-se em Oceanografia Biológica e Gestão dos Recursos Vivos Marinhos (Universidade de Paris – Sorbonne, Laboratoire Arago: 1951-54).

Foi Diretor da Divisão dos Recursos e Ambiente Aquático da FAO (1961-74), tendo participado na Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente Humano (Estocolmo, 1972). Secretário da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO (1980-89) e Professor Catedrático Convidado da Universidade do Porto/ICBAS (Curso de Política e Gestão do Oceano). Foi Ministro dos Negócios Estrangeiros no V Governo Provisório.

Desempenhava  atualmente os cargos de Presidente do Conselho Científico das Ciências do Mar e do Ambiente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e Presidente do Comité Português para a COI/MNE, tendo sido eleito Vice-Presidente daquele organismo intergovernamental (COI/UNESCO), em 2003.

Foi membro da Comissão Estratégica dos Oceanos, criada na dependência do Primeiro-Ministro do XV Governo Constitucional. Era ainda o presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável desde 1997.

Mário Ruivo foi ainda agraciado pelo Estado português por diversas vezes pelos incontáveis e únicos serviços prestados ao país e à sociedade:

  • Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal;
  • Grande-Oficial da Ordem do Mérito de Malta;
  • Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada de Portugal Grã-Cruz da Ordem do Mérito de Portugal.

Recentemente o atual Governo instituiu o Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas, destinado a galardoar  alunos em contexto escolar que se distingam na divulgação dos oceanos.

Esta é a biografia oficial mas, caras e caros colegas, há uma outra dimensão que tive oportunidade de partilhar com o meu amigo Mário Ruivo ao longo de mais de trinta anos.

Mário Ruivo foi antes de mais um combatente da liberdade e um antifascista ao lado do seu companheiro Mário Soares (de quem foi Ministro), tendo sofrido o exílio em Itália durante 14 anos onde participou ativamente no movimento político de resistência à ditadura.

Mário Ruivo, como recentemente afirmou, na cerimónia pública na Universidade do Algarve de atribuição do justíssimo título de Doutor Honoris Causa, sempre quis ser Biólogo. Fascinava-o a Vida e  a imensidão do Oceano. Das frotas dos bacalhoeiros onde investigou, aos mares profundos ele era, para muitos, o SENHOR MAR!

Tornou um marco histórico o Ano Internacional dos Oceanos, sendo a alma científica do Relatório “O Oceano Nosso Futuro”, promovido pela Comissão Mundial Independente dos Oceanos, presidida por Mário Soares e tornada pública na EXPO 98.

Mário Ruivo foi um enorme divulgador da Biologia e da causa dos Oceanos. Foi um militante da causa da biologia e desde a primeira hora, aceitou o meu convite para aderir à Associação Portuguesa de Biólogos, sendo membro do Conselho Nacional da OBIO.

Mário Ruivo viveu intensamente a vida e, nas Ciências da Vida, do ativismo cívico e político traçou a sua rota. Como ele diria, deixa-nos a “carta de navegação e a jangada a flutuar”. Não é coisa pouca o seu legado.

Dirão muitos que Mário Ruivo é insubstituível; não,  está noutra categoria, é irrepetível.

José Guerreiro
(Fundador da Associação Portuguesa de Biólogos, Ex- Bastonário da OBio e membro do seu Conselho Nacional)


Enquanto jovem estudante de biologia, dei conta de que havia um biólogo, português, que para além de escrever e falar sobre gestão de recursos marinhos, conservação, biodiversidade, mar, zona costeira e outras matérias, juntava outras áreas do conhecimento e da vida social de um modo profundamente inspirador. Tinha esse dom de saber juntar a cultura, o direito, a filosofia, a história, sociologia e tantos outros domínios, à biologia abrindo, de forma pioneira, as portas e os diálogos necessários para aquilo que hoje se designa por desenvolvimento sustentável, que, para ele, sempre foi uma “utopia útil”. O Professor Mário Ruivo surgiu assim como uma referência maior num horizonte distante, de mim e, mais tarde verifiquei, do país. Foi por isso surpreendente, à data, constatar a sua disponibilidade para ajudar o movimento sócio-profissional dos biólogos, quer na Associação Portuguesa de Biólogos quer na Ordem dos Biólogos, sendo decisiva a sua contribuição, discreta mas apropriada, onde e quando foi preciso.

As andanças da vida levaram-me a trabalhar de perto com o Professor Mário Ruivo, no Conselho Nacional do Ambiente, desde a sua fundação em 1998. Desde essa data, apenas duas palavras podem descrever essa vivência: admiração e assombro. Conhecimento, experiência, capacidade de diálogo, motivação, disponibilidade, inovação, tudo isto e muito mais numa só pessoa. Biólogo e cidadão com uma forma rara de ver o Mundo, inquieto mas avisado, informado e inconformado. Deu-me o privilégio de integrar o Conselho Nacional da OBio, as listas que liderei em dois mandatos enquanto Bastonário da Ordem dos Biólogos.

Uma referência maior da biologia e do país a quem muito devemos e certamente saberemos honrar.

Um muito obrigado por tudo o que fez pela biologia, pelos biólogos, pelo país e pelo ambiente e desenvolvimento sustentável. Até sempre Professor Mário Ruivo e guarde lá um lugar naquela nuvem de onde nos olha como sempre.

António Domingos Abreu
(Ex-Bastonário da OBio e membro do seu Conselho Nacional)

E já vão 3 matinées de Biologia

Decorreu mais uma matinée de Biologia, desta feita na Esc. Sec. D. Filipa de Lencastre, no passado dia 18 de Janeiro.
O Professor Doutor Luís Vicente falou sobre Evolução e Adaptação, surpreendendo a plateia com uma intervenção diferente do que habitualmente esperamos ouvir sobre esta temática.
Desde Platão até à hipótese quântica, passando pelas super-espécies, a  evolução foi abordada sob pontos de vista invulgares, dando-nos a conhecer evolucionistas gregos, a incompreensão sobre as teorias de Lamarck, que afinal nunca disse coisas que ensinamos aos nossos alunos, ou a história da vida  do homem que ficou famoso por nunca ter sido famoso (wallace). Ah… e todos ficámos a conhecer quem foi o Red John…
Numa palavra, brilhante.

Convocatória: Assembleia Geral Eleitoral – 31 de Março de 2017

Eleições para os órgãos nacionais e regionais da Ordem dos Biólogos (OBio)

De acordo com os Artigos 23º a 30º do Estatuto da OBio, convoco os membros efectivos da Ordem dos Biólogos, com inscrição regular, para uma Assembleia Geral Eleitoral, a realizar no dia 31 de Março de 2017, entre as 13:30 e as 19:30 horas, no Continente e na Madeira, e entre as 12:30 e as 18:30 horas, nos Açores,  para eleger os órgãos nacionais e regionais da Ordem.

Lisboa, 16 de janeiro de 2017

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Ordem dos Biólogos
Maria Amélia Botelho de Paulo Martins Campos Loução

 

Documentação: